Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pensamentos a Nu

Os meus pensamentos mais pessoais ... um pouco de mim ...

Pensamentos a Nu

Os meus pensamentos mais pessoais ... um pouco de mim ...

30
Jun08

23/06/2008 - 14h40m - out of Portugal

pensamentos.a.nu

Porquê? Porque continuas a mexer comigo? Porque continuas a a travessar o meu caminho? Há uma semana que não ouvia a tua voz; há uma semana que não sentia esta angustia, esta dor ... afastei-me de ti para te libertar, para me libertar ... para me dar a hipótese de ser feliz ... tentei soltar as amarras que me prendiam a ti ... alguém me ajudou a soltá-las ... achei que estava a superar a tua falta mas, hoje, depois de me telefonares, depois de te ouvir dizer que tens saudades ... os meus olhos voltaram a encher-se de lágrimas que foram escorrendo, lavando-me o rosto ... não quero, não posso permitir que tudo volte ao inicio, não!

Esse alguém tem sido a razão da minha alegria, da minha vontade de viver e não de apenas sobreviver; foi ele que secou as minhas lágrimas e abriu as portas do meu mundo onde me tinha refugiado e de onde não queria sair.

Vim para longe para me esclarecer, para me encontrar, para começar de novo ... deixa-me voar ... voar sem ti Di!!!!!!!!

 

20
Jun08

Apetecia-me ...

pensamentos.a.nu

Apetecia-me ... apetecia-me dizer-te tudo, explicar-te o que dizes não entender! Explicar-te por A+B o porquê de tudo isto, apetecia-me ... mas não posso! Todos nós temos que percorrer os nossos caminhos, tu, tens que percorrer o teu! Tens que ser tu a encontrar o teu rumo, as tuas respostas, tomar decisões! Eu, não te posso influenciar, não te posso ajudar! Dizes não entender esta minha atitude, logo agora, depois de tantas batalhas ultrapassadas mas, a vida é feita de um conjunto de coisas que não conseguimos explicar por palavras, apenas por actos. O meu acto foi de libertação ... libertei-te para poderes decidir, para eu poder decidir!

Ainda hoje te vi ... ai como ficou o acelarado o meu coração mas, mantive a frieza de aparentar indiferença! Desculpa, mas não te posso passar a mão pela cabeça como se faz aos miúdos traquinas ... tens que aprender com as tuas atitudes, tens que assumir as consequências ... tens que crescer meu anjo!

Esta próxima semana vou refugiar-me nos meus pensamentos ... colocar a cabeça e o coração (tentar pelo menos) no lugar ... vou refugiar-me longe daqui, num local onde sei que não nos cruzaremos, onde sei que não terei tendência para ir ter contigo ... vou para longe, londe de tudo, longe do meu mundo, dos meus amigos ... vou com o meu tesouro, vou refugiar-me na sua inocência, no amor incondicional que nos une ... Vou com a certeza que mais uma nova etapa se inicia e que também depende de ti se farás ou não parte dela. Define os teus projectos, traça o teu caminho ... quem sabe não nos cruzaremos novamente. Sobretudo, decidas o que decidires, luta por seres feliz!

Vou ... vou porque preciso ir ...

20
Jun08

...

pensamentos.a.nu

Palavras escritas por uma amiga ...

 

Nada é fruto do acaso, há um desígnio e um plano perfeitos subjacentes a toda a tua vida e tu, fazes parte dessa totalidade e como tal estas incluída nesses desígnios e planos perfeitos.

Quando vês passarem-se coisas estranhas na tua vida e te interrogas por que te acontecem, aproveita para ver como isso se articula e verás que há uma razão para tudo. Os motivos podem surpreender-te, todavia predispõe-te a aceitá-los e a aprender através deles e, a lutar contra eles.
A vida deverá desenrolar-se sem esforços: uma flor não luta por desabrochar ao sol, então por que deverias tu lutar para te desenvolveres?
Se houver esforço, isso vem de ti e não faz parte de um plano e desígnio perfeitos para ti, mantém a vida singela, mantém-te em permanente contacto e vê-te desenvolver através do amor, a vida é tão simples.
Vê cada dificuldade como um desafio, como um degrau e, jamais te deixes abater seja com o que for ou por quem quer que seja. Avança sem parar, e sabe que a resposta te será revelada quando persistires e fores perseverante. Sê forte e corajosa sabendo que alcançarás os teus objectivos suceda o que suceder. Nesta altura já não é possível voltar atrás todas as portas foram fechadas e trancadas atrás de ti, por isso terás de avançar, o tempo urge e há muito para fazer.
Tens o teu papel a desempenhar no plano global. Encontra o teu lugar especifico nesse plano só assim poderás estar em paz e fazer o que deve ser feito com toda a confiança. É um plano maravilhoso, esplêndido, por isso, não tenhas medo algum de nele participar, dá o melhor de ti mesmo e ajuda desse modo, a que ele se cumpra tão depressa quanto possível e observa-o a desenrolar-se perfeitamente. Tu és especial e eu estou contigo e, se tu olhares bem dentro do teu coração verás que não desejas a estagnação.

 

Obrigada, minha querida, pelo apoio e sobretudo pela amizade.

Adoro-te

16
Jun08

Amor Proibido IV

pensamentos.a.nu

... iria surpreende-la de maneira a ela não duvidar dos sentimentos dele!

E não é que surpreendeu mesmo? Surpreendeu da pior maneira possivel, surpreendeu-a pela negativa! Ela contava com tudo, menos com aquilo! Como podia ele colocá-la em tal posição? Como podia ele permitir que, fosse quem fosse, ameaçasse a sua integridade física e moral? Era isto que ela precisava para acordar ... ele até podia gostar dela, amá-la até, ao seu jeito mas, nunca se entenderiam ... o amor(?) não resolve tudo ... tem que haver mais, muito mais!

Doeu, ela caiu na realidade, acordou de um sonho de uma forma brusca ... bem, ela no fundo sabia que isto acabaria por acontecer ... ele nunca consegueria faze-la feliz, deixa-la-ia sempre com dúvidas, com angústias, com medos. Emocialmente e mentalmente ela já não tinha condições para suportar as ondolações do barco ... não podia ser ela sózinha a remar, tinham que remar os dois, na mesma direcção!

Olhou à sua volta e sentiu-se sozinha, completamente perdida. À sua volta era só mar e ela não sabia nadar. Entrou em desespero e decidiu, mesmo sozinha, remar sem parar, a algum lado chegaria.

Remou com todas as suas forças, de quando em vez, enxugava as lágrimas para ver se o seu horizonte se alterava ... mas o que os seus olhos viam não havia maneira de se alterar. De repente, quando começava a perder as esperenças, as forças ... viu algo diferente no seu horizonte ... se a visão não a atraiçoava ela conseguia ver algo que não era mar, que não era incerto, algo que não balançava ... ela conseguia ver terra firme!

 

(continua)

11
Jun08

Amor Proibido III

pensamentos.a.nu

... O amor deles tinha vencido mais uma prova ...

Entre limitações e complicações, eles lá se iam falando, lá se iam encontrando, dando espaço ao amor e à cumplicidade que os unia. E a cumplicidade era muita. Bastava um simples "bom dia" para o outro saber o estado de espírito ... entendiam-se apenas pelo olhar!

No dia que tinham combinado encontrar-se ... ele ligou, mais tarde, a dizer que não podia. Ela ficou desiludida e tratou-o com indiferença. A cumplicidade nem sempre "funcionava" como queriam e por vezes desentendiam-se. Combinaram para o dia seguinte, precisavam falar, esclarecer o que pretendiam um do outro. Mas ela, não acreditava, começava a dar sinais de "casaço" ... ela sabia e tinha certeza dos sentimentos dele mas, tinham que remar os dois para o mesmo lado ... não podia ser só ela a lutar!

A verdade é que ele não falhou ... à hora e no local combinado, lá estava ele, pronto para conversar, para abrir o coração! E, foi mesmo isso que fizeram, sem defenir projectos, colocaram as cartas na mesa. Ela disse-lhe tudo o que sentia, o que pensava... disse-lhe inclusivé que tinha a sensação que todo este amor não duraria muito mais ... iam acabar por se cançarem. Ele, ao contrário, mostrou-se mais confiante, mais esperançoso. Disse-lhe que tinha um caminho traçado, que ia lutar pelo amor dela, por estar junto dela! Nada ficou por dizer, os desejos, as ambições, os medos ... tudo foi dito.

Chegaram (uma vez mais) à conclusão que, o que os unia, só podia de facto ser algo especial para, depois de tantas "trocas e baldrocas" continuarem a identificarem-se um no outro!

Continuaram a falar-se todos os dias, a encontrarem-se de quando em vez ... sentiam que, mesmo assim, um fazia parte da vida do outro, quando se falavam ou se viam, contavam as suas "aventuras" do lufa-lufa do dia a dia, um sabia tudo do outro.

Ela já nem ligava muito quando ele dizia que a determinada hora estáva lá ou ligava, ela dava-lhe sempre um desconto (ele era tramado com os horários), ele bem se esforçava para cumprir mas ela acabava sempre por se rir ... achava melhor levar as coisas assim, na desportiva, sofria menos. Tentava convencer-se a ela própria que não ia stressar, se desse para estarem juntos melhor, se não desse, paciência! E ele, tentava compreender a maneira dela ser, dela falar, dela agir ... esforçava-se para entender que ela não podia ficar "presa" em casa só porque ele não podia sair quando ela podia. Nem sempre conseguiam isso, pois, os estados de espírito nem sempre são os mesmos e nem sempre conseguiam reagir da melhor forma. Uma dessas vezes, foi ela que se "desiludiu" ... ele tinha-lhe dito que estaria a determinada hora, ela deu o tal desconto mas, ele tinha passado o limite. Assim que ele chegou logo percebeu que a sua "linda" não estava nos seus melhores dias, tinha um olhar triste! Sabia que era o causador dessa tristesa. Disse-lhe que nem se iria justificar, provavelmente ela não acreditaria e prometeu-lhe surpreende-la dentro em breve. Ela sorriu como que transmitindo que não acreditava muito mas ia esperar para ver! Ele percebeu o sorriso desconfiado e voltou a dizer-lhe que iria surpreende-la de maneira a ela não duvidar dos sentimentos dele!

 

(continua)

08
Jun08

Amor Proibido II

pensamentos.a.nu

...e, não conseguiu resistir ...

As mensagens, os telefonemas, os encontros foram-se intensificando ... a partilha e a cumplicidade também! Quando estávam juntos, nada importava! Não havia preconceitos, desculpas, mentiras ... o mundo paráva naquele instante e só a lua testemunhava aquele amor!

O tempo foi passando ... os momentos vividos a dois eram magnificos, pareciam duas crianças ... ambos sentiam que tinham encontrado a alma gémea ... aquele alguém que há muito aguardavam, aquela pessoa que entendia, compreendia, não exigia, apoiava, dava força ... como se divertiam os dois!

Mas, como em tudo na vida, há o revés da medalha. Vieram as complicações exteriores e as coisas ficaram estranhas. A tentativa de um ajudar o outro nem sempre era bem aceite e/ou compreendida. Estavam mais distantes, principalmente ele e isso, doía, tanto a um como a outro. Ambos tentavam lidar com a dor de maneiras diferentes. Ela acabava por magoá-lo com palavras mais duras, ele magoava-a ao distanciar-se cada vez mais!

Dicidiram conversar, tinham que esclarecer o que se estava a passar, tinham que demonstrar o que sentiam e o que queriam na realidade. Sentaram-se, conversaram, choraram, riram e, chegaram à conclusão que se amavam, que queriam muito estar um com o outro ... mesmo com condicionantes! Ela voltou a tratá-lo com carinho, ele aparecia e ligava-lhe mais vezes. Voltaram a sentir-se felizes ... voltaram a sentir-se um só!

Mesmo no amor, as condicionantes da vida, nem sempre ajudam os enamorados e, por alguma razão que nem mesmo eles sabiam explicar ... voltaram a afastar-se. Agora era ela a mais distante, a mais fria. Tratava-o como se fosse um simples amigo, tentava não demonstrar o quanto sofria mas, achava que era o melhor. Queria dar-lhe espaço para ele resolver, decidir, optar ... no fundo queria que ele sentisse a sua falta! Decidiu abandonar o barco, disse-lhe que chegava, não queria mais! Ele, não respondeu, não questionou ... resignou-se, sabia porque motivo ela fazia isso e respeitou! Ela também precisava do espaço dela!

Estiveram dias sem se falarem ... ela sabia que era exactamente isso que faria! Os minutos pareciam horas, horas pareciam dias, dias pareciam anos! Não conseguia dormir, não conseguia comer, não conseguia sequer sorrir ... sempre que se lembrava dele (não havia segundo que não o fizesse) as lágrimas lavavam-lhe o rosto. Afinal ela agora tinha a certeza que era aquele homem que amava, que queria a seu lado para partilhar os momentos mais "insignificantes"!

Encheu-se de coragem e ligou-lhe! Ela tinha que se desculpar, dizer-lhe o que sentia, mesmo que ele já não quisesse voltar atrás! Marcaram um novo encontro. Ela ensaiou mil e um discursos, mil e uma maneiras de se justificar mas, com o aproximar da hora, decidiu que não iria dizer nada ensaiado, iria abrir-lhe o coração!

Ele chegou, ela convidou-o para entrar, para sentar. Ele estáva "frio" e deixava transparecer algum nervosismo ... ela, nem se fala! Sentaram-se e ela começou a falar, a dizer tudo o que sentia, tudo o que tinha passado estes dias, que, se dúvidas houvesse, tinha agora a certeza que o amava. Enquanto ela falava, desviando de vez em quando o olhar para não ceder à tentação do o beijar, ele trincava os lábios, passava a mão pelo cabelo, na tentativa de disfarçar o quanto estava nervoso. Acabaram por se reconciliar afinal, tudo o que ela tinha passado, ele também tinha sentido!

O amor deles tinha vencido mais uma prova ...

 

(continua)

08
Jun08

Simplesmente porque ...

pensamentos.a.nu

É nos teus braços que me liberto, é nas tuas mãos que me sinto livre, é no teu corpo que corro sem destino. É  no teu abraço que me deixo envolver e me sinto criança!

É em ti que viajo por caminhos que nunca planeei; voo até ao infinito percorrendo por entre planetas ... é em ti que sonho e me realizo; é em ti que guardo segredos nunca antes desvendados!

Fecho os olhos e sinto-te aqui ... bem ao meu lado, sem desculpas, sem pausas, sem intervalos, sem medos nem preconceitos ... só nós dois e o nosso amor!

Olho a lua ... a mesma lua que tu vês; essa lua companheira e testemunha do que nos une. A mesma lua que parece sorrir quando os nossos lábios se encontram, quandos os nossos corpos se confundem num só e, tudo pára à nossa volta!

Amo-te sem preconceitos; amo-te sem limites; amo-te esquecendo o certo e o errado; amo-te e quero-te bem junto de mim!

Amo-te na simplicidade, na cumplicidade, na entrega, na partilha!

 

És o meu pôr do sol

E a lua que o vem render,

És a terra e o mar

Que me faz sobreviver.

 

És o meu novo mundo

Algo que só eu descobri,

És o ar que respiro

E eu acordo em ti.

 

És o meu refugio

Onde sempre me vou esconder

És a minha força

Para um novo amanhecer!

05
Jun08

Amor Proibido I

pensamentos.a.nu

"Eu quero ser feliz ... e tu, o que queres?" Perguntou ela um pouco apreensiva com a resposta. Ele respondeu-lhe: "além de te querer a ti? Não sei, não sei o que quero!"

Ela, não sabia se devia rir ou chorar, ficar alegre ou triste ... ficou ali, num misto de emoções sem conseguir olhar nos olhos dele. Será que ele percebeu que não era essa a resposta que ela queria ouvir? E ela? Estáva preparada para aquela resposta?

Ele foi embora, ela ficou e com ela ficaram todas as recordações do passado ... daqui para a frente nada seria igual. Ficaram de se encontrar no dia seguinte, ambos com a certeza que se amam e, apenas ela, com a certeza(????? isto das certezas é muito relativo) que tudo isto, todo este amor não vai durar! Ela sabe disso, ela sente isso mas não lhe consegue dizer porque nem ela quer acreditar nisso afinal, ele é o capitão do barco em que segue.

Sem conseguir dormir, ela fez um backup de como tinha começado. Já se conheciam há longos anos, desde crianças, andavam juntos na mesma escola mas, apesar de se falarem, nunca foram grandes amigos, não conviviam muito. Os anos foram passando e, nas suas adolescências, os grupos de amigos continuavam a não ser os mesmos e, com rumos de vidas diferentes afastaram-se e nunca mais se viram.

Por obra do destino, ela teve que ir ao trabalho dele, sem saber quem ele era. Apenas o reconheceu quando o viu, ali, frente a frente. Algo se alterou, algo mudou nela, melhor neles. A partir daquele dia, tanto para ela, como para ele, tudo era desculpa para se falarem, para enviarem mensagens.

Combinaram um encontro e mais outro. Após algumas verdades terem saltado para a rivalta, ela decidiu parar por ali, não havia condições para continuarem a encontrar-se. Ele, persistente, certo do que queria, não deixava de lhe ligar, de lhe enviar mensagens. Ela decidiu colocar um ponto final em tudo, estáva a ficar confusa, baralhada! Marcou um novo encontro e disse-lhe tudo o que pensava, o que sentia mas, mesmo ele sendo especial para ela, não poderiam dar largas ao amor que sentiam, tinham que pensar nos limites, nas consequências de tudo! Mesmo dizendo tudo com convicção, ela não tinha certeza do que dizia. Não tinha porque o que sentia por ele, cada vez falava mais alto e, não conseguiu resistir ...

 

(continua)

03
Jun08

Lutar ou desistir?

pensamentos.a.nu

Hoje um amigo fez-me pensar... fez-me reflectir... afinal de contas o que espero de ti? O que me faz não desistir? O que me faz continuar a lutar por esta "causa"? O que me faz, mesmo depois de me magoares, continuar a acreditar que é possível? A "única" resposta que encontro... é porque te amo! Mas, logo aparece uma questão: será que o amor compensa tudo isto? Será que o amor vale tudo isto?  Sim, eu continuo a acreditar nisso mas, não posso lutar sozinha, não posso lutar por algo em que muitas vezes, apenas eu pareço acreditar! Não posso lutar para chegar até ti se tu te escondes do mundo... até te escondes de ti, meu anjo! Continuo a dizer-te para não te enganares... para não me enganares... 

Encontrei-te no início da minha nova caminhada, do meu novo projecto, da minha nova vida. Lutei com todas as minhas forças contra os sentimentos que me atormentavam. Tinha acabado um relacionamento nada fácil, queria paz e sossego e aí, sorrateiramente, entras-te tu e invadis-te todo o meu ser. Fizeste-me acreditar que iria vencer. Disseste-me para nunca desistir e, fizeste-me acreditar novamente no amor... fizeste-me amar-te!

Dou-te tudo o que tenho ... sem ser tua posse ... sou tua!Mas, e porque há sempre um mas... deixas-me assim, insegura... sem saber onde colocar os pés... sinto-me rodeada de areias movediças, não sei por onde ir... nem sei se devo ir! Porque me deixas assim?

Costumo dizer que, nada na vida acontece por acaso e, acredito nisso! Mas, porque motivo apareces-te na minha vida? Porque motivo apareci na tua? Porque motivo aprendi a te amar? Porque motivo me fazes tanta falta? Que quererá a vida, o destino, provar-me? Algo será ... vou aguardar, no meu canto!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D